Pular para o conteúdo

Fui demitido. E agora?

22 de fevereiro de 2021

Neste momento delicado de pandemia, muitas empresas tiveram de reduzir custos ou até fechar as portas e, consequentemente, alguns profissionais se depararam com o desemprego.




Neste momento delicado de pandemia, muitas empresas tiveram de reduzir custos ou até fechar as portas e, consequentemente, alguns profissionais se depararam com o desemprego. Com isso, é importante, seja na condição de estagiário, jovem aprendiz ou funcionário efetivo, rever todas as realizações e traçar um novo plano para continuar na ativa.

Após a dispensa, existem três fases comuns enfrentadas por indivíduos de todos os níveis de experiência e áreas de atuação:

1) Choque: por que eu? O que eu fiz? Onde errei? Me dediquei tanto é agora é isso? Como assim?

2) Aceitação: estou fora, então devo procurar me preparar para esse novo cenário.

3) Ação: vou me organizar e estipular uma estratégia diferente.

Para Madalena Feliciano, gestora de carreira, ficar desocupado não deve ser visto como algo monstruoso. “Perder o emprego não é um bicho de sete cabeças como muitos pensam. Esses momentos são necessários para o trabalhador ou estagiário repensar suas estratégias, melhorar suas habilidades e buscar novas oportunidades”, expõe.

Juliana Camargo, estudante de RH, do Rio de Janeiro, foi um exemplo de quem perdeu seu estágio durante os primeiros meses de crise. “Foi bem estranha para mim essa experiência, justamente por estarmos todos em casa. Não sabia nem por onde começar a procurar outras chances”, conta.

Porém, isso não a abalou. “Aproveitei o tempo livre para rechear o currículo e não parei de buscar caminhos diferentes para mim”. Ela já está há cinco meses em um novo desafio, dado por outro empreendimento. “Agora é força total para seguir em frente”, conclui a universitária.

Desafios para superar

A maior dificuldade a ser enfrentada agora será a recolocação, afinal, muitas empresas estão retomando no ritmo permitido e de acordo com as regulamentações. Entretanto, esse impasse não será eterno e agora é a hora de se reinventar e se apresentar para o mercado, fazer networking e mapear novas organizações e negócios. Até porque, para a especialista, procurar uma nova posição é como se fosse uma nova ocupação.

Monte um planejamento estratégico!

Madalena explica como pensar de maneira estratégica é fundamental para superar as adversidades trazidas pela crise. “Tem muita coisa acontecendo no mundo agora, mas não podemos ficar parados. Quem foi desligado deve montar uma nova rotina e um planejamento elaborado, para não se perder no dia a dia”, compartilha.

Sair da zona de conforto é imprescindível

Depois de um tempo de experiência dentro de uma companhia, é comum entrar em uma zona de conforto e justamente por isso, é preciso buscar meios de fugir dos pensamentos limitantes. “É necessário se atualizar, redirecionar as habilidades, saber quais pontos é preciso melhorar, em quais aspectos investir nesse momento, bem como, traçar metas objetivas e claras para auxiliarem no futuro”, orienta.

Com a adoção do home office nos mais diversos segmentos organizacionais, muitas pessoas estão precisando se adaptar a esse novo modelo. As entrevistas e processos seletivos são feitos, majoritariamente, por recursos on-line, como as vídeo entrevistas.

Veja dicas para se sair bem e conquistar uma vaga

Os encontros empresariais e a compra e venda de produtos também tiveram de se adaptar e, por isso, é imprescindível estar em dia com as tecnologias, saber lidar com esse estilo de vida atual pode garantir uma admissão.

A gestora finaliza: “se você fizer todo um planejamento, não sairá prejudicado dessa. Explorar novos horizontes, aprender sobre os recursos digitais, novos ofícios e até, quem sabe, montar o seu próprio negócio, são estratégias a seguir para o momento”.

Está pronto para novas oportunidades?

Comentários

Comentários