Pular para o conteúdo

O impacto das redes sociais na hora dos estudos

3 de junho de 2019

Com notícias e informações a todo instante, a tecnologia pode ser tanto uma solução quanto um empecilho. Afinal, de acordo com uma pesquisa promovida pelo publicitário Douglas Azevedo, cerca de 52,3% dos universitários acessam livremente seus aplicativos de redes sociais durante a aula.




Para o professor de inglês Carlos Alves, de fato, o vício nas mídias atrapalha na concentração e, também, na hora de se dedicar a um livro ou atividade. “Até mesmo em aulas particulares, noto a ansiedade de alguns alunos para verificar suas notificações. A grande dificuldade ao lidar com esse vício é para voltar seu foco à tarefa anterior”, conta. 

De fato, a dependência é uma realidade gritante, principalmente entre a juventude. Segundo o mesmo estudo do publicitário, 92,3% dos 503 entrevistados se consideram heavy users (ou usuários assíduos) das redes. Esses se enquadram no perfil de quem utiliza os recursos virtuais por mais de seis horas ao dia. 

Lúcio Santos, estuda engenharia civil na Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro e estagia na área. Para ele, os recursos tecnológicos já foram um empecilho. Por isso, ele busca sempre o equilíbrio para não se prejudicar. “É muito difícil de se desligar e não pensar mais nas notificações quando se percebe uma certa dependência. Porém, já perdi prazos por conta desse costume e, hoje, me policio mais”, relata. 

Por isso, se você quer um desempenho melhor em suas atividades corriqueiras e busca destaque no mercado, se atente a esse tema! O Polo torce por seu sucesso!

Fonte: Nube

Comentários

Comentários